segunda-feira, 18 de junho de 2018

Falsos mitos sobre os professores

A Ponte pode ser um problema

 

Uma curta-metragem que conta a história de quatro animais que querem passar uma ponte mas têm um problema para resolver, a solução está nos quatro pontos de vista. Neste filme são tratados alguns temas: 
- o egoísmo e o capricho; 
- a teimosia que não ajuda a resolver problemas; 
- a cooperação como estratégia para resolver problemas; 
- como os nossos atos podem prejudicar outros.

domingo, 17 de junho de 2018

Inauguração da BE de Seroa


O vice-presidente e vereador do pelouro da Educação da câmara municipal de Paços de Ferreira presidiu, no dia 15, à inauguração da biblioteca da EB de Seroa, com a presença do diretor do AE de Frazão, do presidente da junta de Seroa e do coordenador interconcelhio da RBE.

sábado, 16 de junho de 2018

III Encontro de Boas Práticas - Braga

III Encontro de Boas Práticas - Inovar Contextos de Aprendizagem
Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva | 10 e 11 de julho
O III Encontro de Boas Práticas visa abordar questões relacionadas com a problemática da promoção da leitura e o desenvolvimento de diferentes literacias como condição do pensamento crítico e consequente participação enquanto cidadãos na sociedade atual.
Inscrições gratuitas mediante inscrição
O III Encontro de Boas Práticas está acreditado pelo Conselho Científico Pedagógico da Formação Contínua com uma duração de 15 horas, conferindo 0,6 créditos.





terça-feira, 12 de junho de 2018

Assinado protocolo da Rede de Bibliotecas de Penafiel


No dia 6 de junho foi assinado, no auditório da Biblioteca Municipal de Penafiel, um protocolo de cooperação das bibliotecas existentes no concelho, entre a Câmara Municipal e os Agrupamentos de Escolas de Paço de Sousa, D. António Ferreira Gomes, Joaquim de Araújo, Penafiel Sudeste, Escolas do Pinheiro e Escola Secundária de Penafiel n.º1.
O protocolo tem como objetivo reconhecer e potenciar o trabalho colaborativo que tem sido desenvolvido no âmbito do SABE (Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares de Penafiel) e ações cooperativas que elevam o nível educativo e cultural no concelho de Penafiel, em prol, do progresso dos níveis de literacia dos cidadãos.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Professores são os guardiões da chama

Os professores protegem a chama de cada aluno para que possa brilhar.

Final do Concurso Nacional de Leitura em Pombal


Assisti, ontem, em Pombal, à final do 12º Concurso Nacional de Leitura. Um espetáculo digno de ser visto e admirado, os protagonistas estiveram à altura do desafio: leituras expressivas, capacidade de argumentação qb e uma escolha de textos, na sua grande maioria de autores portugueses, excelente que fizeram vibrar o público presente.
Parabéns a todos e à organização que soube estar à altura deste desafio.

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Cuerdas - curta-metragem



Uma curta-metragem de Pedro Solis que conta a história comovedora de um menino especial que chega a uma escola e conhece uma menina com quem estabelece uma verdadeira amizade.
Este filme permite trabalhar alguns valores como: 
  • a amizade e o amor incondicionais, 
  • a igualdade e a solidariedade, 
  • a ingenuidade e inocência dos meninos;
  • a aventura pelo desconhecido.


sexta-feira, 25 de maio de 2018

Regresso sem Fim - Eduardo Lourenço

O documentário "Regresso sem Fim" de Anabela Saint-Maurice viaja das origens, às reflexões e obra de um dos maiores pensadores do século XX, Eduardo Lourenço.


quinta-feira, 24 de maio de 2018

A depressão dos professores

Vale a pena ler a opinião de Carmo Machado, publicada na revista Visão.

"Deparamo-nos por essas escolas do país, com colegas que arrastam pelos corredores a sua precariedade gritante. E nós, os que ainda possuímos alguma sanidade, nada podemos fazer.

Todos conhecerão, nas suas escolas, um ou mais casos de colegas que, em situações de desequilíbrio emocional, insistem em manter-se ao serviço e cumprir com as suas obrigações profissionais, convictos de que o que estão a fazer é o melhor para si e para a escola. Alguns não querem faltar para não prejudicar os alunos, outros não têm noção do estado em que se encontram, outros ainda não saberiam mesmo o que fazer se tivessem de ficar em casa. E assim, deparamo-nos por essas escolas do país, com colegas que arrastam pelos corredores a sua precariedade gritante. E nós, os que ainda possuímos alguma sanidade, nada podemos fazer.

Não há como escapar a este flagelo. Todos os dias sou confrontada com situações angustiantes de colegas em sofrimento e não consigo, por mais que tente, ficar indiferente. É mesmo impossível ignorar a colega que literalmente, num passo arrastado, caminha como um autómato para a sala de aula onde, numa luta desigual, terá de enfrentar um grupo cruel de trinta adversários que, à mínima oportunidade, transformarão a aula numa batalha campal, derramando pelo chão os últimos restos de uma dignidade há muito perdida".

terça-feira, 22 de maio de 2018

Acabou o tempo dos compromissos com o ME

Professores exigiram respeito na manifestação em Lisboa. Reivindicam a contagem integral do tempo de serviço congelado e um novo regime de aposentação. A 4 de junho, há reunião com o ministro. Se não houver cedências, um novo protesto poderá agitar a época de exames.

Milhares de professores de todo o país, e terão sido mais de 50 mil pelas contas dos sindicatos, concentraram-se na Praça Marquês de Pombal, em Lisboa, e desceram a Avenida da Liberdade, no último sábado. Os docentes descontentes voltaram a sair à rua para exigir respeito. Querem que o tempo descongelado, e efetivamente contado para progressão na carreira, seja nove anos, quatro meses e dois dias. Querem um regime especial de aposentação ao fim de 36 anos de serviço. Querem que os horários de trabalho sejam revistos para que se esclareça o que é componente letiva e não letiva. Querem medidas que combatam o desgaste provocado pela profissão. As mensagens de insatisfação estiveram estampadas em cartazes, folhetos, camisolas. Reivindicações antigas numa nova manifestação. 

Reduzir o número de alunos por turma, melhorar as condições de trabalho, garantir estabilidade e segurança na profissão são outros assuntos que as estruturas sindicais querem que a tutela olhe com mais atenção. João Dias da Silva, secretário-geral da Federação Nacional da Educação (FNE), voltou a criticar as “políticas de desvalorização”, a lembrar que os professores exigem reconhecimento e respeito, e avisou o ministro que “não chega dizer que a escola é a sua paixão”. “Nós somos a escola, nós construímos a escola”, referiu. 

Dias da Silva garante que os professores não estão a dormir e que defenderão os seus direitos. “E o que é que o Governo quer fazer? Quer inventar uma fórmula que transforma os nove anos, quatro meses e dois dias em dois anos, 10 meses e 18 dias. Isto não é uma questão de ilusionismo, isto não é uma questão do faz de conta”, afirma, avisando que os professores não estão disponíveis para “aceitar um poucochinho daquilo” a que têm direito.