quarta-feira, 14 de novembro de 2007

O que o psiquiatra Daniel Sampaio disse

Daniel Sampaio lamentou, [durante a distinção do professor perfeito, ] o "mal estar significativo entre docentes e o Governo". O presidente do júri manifestou a esperança do prémio abrir um novo período de relacionamento entre professores e Governo. "Façamos a partir do seu exemplo a reflexão necessária para a mudança", insistiu.O psiquiatra alertou o Executivo de que "sem os apoios dos professores qualquer mudança não passará do articulado legislativo" para o terreno. Caso da autonomia. Daniel Sampaio considera que os professores "perdem demasiado tempo com despachos e portarias".dimensão psicológica é muito preocupante como é possível a relação pedagógica se o professor tem medo?". JN 14-11-07
Perante estas afirmações, feitas por alguém que não estando no sistema diagnosticou na perfeição o ambiente que se vive nas nossas escolas. Convido-te a opinar sobre este diagnóstico.

1 comentário:

cesslou disse...

Depois de tanta insistência de um certo (des)entusiasta destas questões, eis-me aqui comentando este (des)abafo sobre a educação e o estado actual. Parece que tudo o que está acontecendo à nossa volta é novidade!!! Meu Deus quão indrédulos fomos todos nós. Já Perrenoud alertava para estas questões nos finais de 80 quando falava nas desprofissionalização da carreira docente. É o que está acontecendo meu amigo, tornámo-nos professores zombies, tecnocratas da educação, afogados em papeis e mais papeis. Cometemos o pecado original, o de dizer NÂO no tempo certo. Agora não mais nos resta que o de aceitar o nosso FATUM e sermos os professores zombies por oposição aos reflexivos (os que poderiam levar-nos à profissionalização da carreira). E não adianta, por muito que fales de greves, de manifestações...tudo começou qaundo um partido obteve a maioria, agora aguentem-na.